[OPINIÃO] A importância dos ports de Wii U no NINTENDO SWITCH – Parte 02

Antes do Nintendo Switch ser lançado, inaugurei a editoria Opinião do site para falar sobre ports do Wii U para o console, e até fiz um predição de jogos que queria que fossem portados. Muita coisa aconteceu nesse 01 ano e meio do console, muitos ports realmente foram feitos, e então era hora de voltar a abordar o assunto e reafirmar essa posição a favor dos ports e ver se dá pra acertar mais alguns chutes.

Portar um jogo da geração anterior é muito mais do que reciclagem de material, principalmente quando falamos do Wii U.

O port normalmente não é direcionado para quem teve o console antigo, e até hoje ainda o tem, jogou o jogo, e de repente se sente obrigado a comprar novamente. Ele é voltado para quem não teve o console, ou se teve, não o tem mais, e agora tem uma segunda oportunidade na atual geração. Se o produto não te atrai, tá tudo bem em não comprar, não precisa repudiar sua existência, até porque a gente sabe que a Nintendo não para de fazer jogos novos para criar os ports, os remasters e os remakes. A lineup first-party continua acontecendo, então é só seguir em frente porque esse material não é pra você, tá tudo bem mesmo, nem tudo precisa ser, e ele tem um público que eventualmente irá atingir.

Portar um jogo permite que mais pessoas tenham acesso ao material, além de dar uma inflada boa na lineup do console, porque não dá pra produzir jogo inédito para todos os meses do ano, e uma lineup grande e diversificada é sempre positiva (se o nosso dinheiro não é suficiente pra comprar tudo isso, e normalmente não é, aí já é outro problema, mas de qualquer forma, sempre teremos um leque de escolhas bem amplo graças aos ports, remasters e remakes). Pelo menos agora temos uma Loja Nintendo BR com preços que ainda não são ideais, mas oferecem uma alternativa aos absurdos cobrados pelas cópias físicas importadas.

Além disso, é comum os ports serem mais do que meras transposições do original, e costumam oferecer conteúdo exclusivo no novo console, permitindo que eles possam servir como novidade, mesmo que estejam representando um material já lançado. Mario Kart 8 Deluxe trouxe o modo battle ao jogo e a moto de Breath of the Wild, Captain Toad Treasure Tracker possui fases novas inspiradas em Super Mario Odyssey, Donkey Kong Country Tropical Freeze veio com o Funky Mode, e por aí vai.

E quando disse que isso era importante principalmente no Wii U, é pelo simples fato do console ter sido um grande fracasso de vendas, seus 13 Milhões de unidades da vida toda já foram ultrapassados pelo Switch antes mesmo do novo console completar 01 ano, e isso deixou uma biblioteca incrível de jogos first-party presa a um aparelho que praticamente não vendeu. Agora outros usuários poderão experimentar esses jogos, e é só ver como Mario Kart 8 Deluxe é o segundo jogo mais vendido do Switch, ultrapassando a marca de 10 MILHÕES de unidades.

E se você jogou no Wii U e quer jogar de novo no Switch, tá tudo bem também, ninguém vai te julgar em como você gasta seu dinheiro, e se tentar julgar, a não ser que pague suas contas, não tem validade alguma, certo?

Ás vezes os preços são distorcidos e incomodam bastante, como o caso de Donkey Kong Country Tropical Freeze, que foi lançado por 50 dólares no Wii U, e por 60 no Switch. O jogo vale 60 dólares? Vale sim, mas como ele custava 50 no Wii U no lançamento, e já estava no Selects por 20 dólares, 30 ou 40 dólares estava bem pago.

A biblioteca de ports do Wii U no Switch nesse 01 ano e meio cresceu bastante, com jogos muito bons. Mario Kart 8 Deluxe puxou o desfile, e depois tivemos Bayonetta 1+2, Lego City Undercover, Hyrule Warriors Definitive Edition, Captain Toad Treasure Tracker, Rayman Legends Definitive Edition, Donkey Kong Country Tropical Freeze, Pokkén Tournament DX, alguns deles foram chutes certeiros no texto anterior, outros ainda estamos na espera, e agora, em meio a rumores de que New Super Mario Bros. U + New Super Luigi U vai ser o próximo, vamos falar de alguns jogos do Wii U que seriam muito bem vindos no Nintendo Switch.

Pikmin 3 é o carro chefe dessa lista. O jogo tem um visual incrível, e soube ser uma sequência de respeito de dois clássicos do GameCube. Novos personagens, novas missões, muitas cores, muita vida na tela quando em controle dos 100 Pikmin. O jogo é a cara do Switch, e seria incrível poder controlar todos aqueles Pikmin no modo portátil. Enquanto a gente espera por Pikmin 4, o 3 vai ser de muita ajuda pra matar a saudade.

Xenoblade Chronicles X é um jogo que eu não tenho dúvida nenhuma que será portado, mas o momento de Xenoblade 2 ainda está bem presente, principalmente com a chegada do DLC Torna agora em setembro, então ele deve vir no ano que vem, talvez até no segundo semestre, dando tempo pra Monolith preparar novos jogos da série que ela se declarou interessada em fazer, e até um novo jogo fora do mundo de Xenoblade que eles também estão trabalhando já há algum tempo.

Paper Mario Color Splash é um jogo lindo que chegou bem no fim da vida do Wii U. E não sei o que é pior, existir durante toda a vida de um console que não soube se vender, ou chegar no final quando já era certeza que ele não ia vender mais. Color Splash merece mais, merece uma segunda chance. Ele é bonito, divertido, grande, criativo. Sem dúvida nenhuma seria uma boa adição à biblioteca do Switch.

Yoshi’s Woolly World é outro candidato perfeito, exatamente por já ter sido portado para o Nintendo 3DS, e assim como aconteceu com Hyrule Warriors, ele poderia ganhar uma versão definitiva do Switch com os recursos exclusivos que ele tem no 3DS [criar seus próprios patterns para os Yoshi’s e o Poocky jogável]. Poochy and Yoshi’s Woolly World Deluxe para o Nintendo Switch seria lindo.

The Legend of Zelda – The Wind Waker HD + The Legend of Zelda – Twilight Princess HD

Sim, um bundle com os dois jogos, simplesmente porque eles não podem existir só no Wii U, eles precisam continuar existindo. São remasters de muita qualidade para serem limitados à geração anterior.

The Wonderful 101 porque além de ser um jogo incrível com uma personalidade totalmente única, já rolaram muitos teasers da Platinum nesse sentido então existe uma confiança de que eles só estão esperando uma janela legal pro jogo vender bem.

Super Mario Maker O que a gente queria? Super Mario Maker 2. O que a gente se contenta com? Um port do jogo do Wii U com alguns recursos novos, seria mais ou menos um Super Mario Maker 1.5, só que mais rápido e fácil de fazer usando como base o jogo original. É muito gostoso criar as fases, jogar as fases dos amigos, compartilhar. Mais um jogo que pode absorver o que teve no Wii U e o que teve no 3DS, e fazer uma versão definitiva com ainda mais coisas no Nintendo Switch.

Certo, melhor parar por aqui, antes que toda a biblioteca first-party do console apareça na lista. Mesmo que eu acredite que, eventualmente, durante a vida toda do Nintendo Switch, existe uma grande possibilidade de sim toda a biblioteca first-party do Wii U ser portada, e por todos os motivos citados acima, isso é algo realmente muito bom.

Jornalista.
Hylian.
Mas talvez seja um Kokiri.
…ou um Korok.