[EVENTOS] Brasil Game Show 2017 comemora sua 10ª edição em grande estilo

Após uma passagem rápida pela Expo São Paulo, a Brasil Game Show retornou ao Center Norte para comemorar sua décima edição. E apesar da Nintendo não ter uma participação ativa no evento, o Meu Nintendo estava lá para prestigiar essa festa do cenário gamer porque não é apenas de Nintendo que vive o mercado, e todos somos gamers de forma igual quando somos capazes de prestigiar algo dessa magnitude em nosso país, e ver que o Brasil caminha na direção certa, não apenas na produção de jogos, mas também na criação.

Um dos principais preceitos de um evento neste formato é permitir que os jogadores possam experimentar jogos que ainda serão lançados e também outros recém lançados, mas que ainda não tiveram oportunidade de jogar. Com grandes estandes da Sony, Microsoft, Ubisoft, Capcom e outras empresa, a BGS cumpre bem esse papel, proporcionando aos jogadores essa oportunidade, e desta forma funcionando como uma grande demo para novos jogos, fazendo com que os jogadores possam decidir se irão optar por aquele jogo ou não.

O PODER DO BRASIL NO DESENVOLVIMENTO DE JOGOS

Mas entre essas grandes empresas, temos que dar destaque especial à ala indie, em que desenvolvedores de todas as partes do mundo, e principalmente do Brasil, podem demonstrar seus projetos, e mostrar que o país está entrando com tudo na área de desenvolvimento, e criando projetos incríveis, que estão conquistando espaço dentro das grande publishers, e permitindo que cada vez mais jogos brasileiros possam ser vistos no PS4, no Xbox One e no Nintendo Switch.

O contato direto do desenvolvedor com seu consumidor final é crucial para que os projetos sejam bem aceitos e consequentemente bem sucedidos. Os jogadores têm a oportunidade de conhecer a história por trás do jogo, do desenvolvimento, e entender como o produto que chega ao seu console foi concebido, e tudo o que os devs passaram, criaram e muitas vezes sacrificaram para que esse jogo acontecesse. Isso é importante para que o jogador entenda todo o processo, e desta forma valorize cada vez mais esse trabalho que, mesmo ainda em um processo bem inicial no Brasil, já caminha a passos largos e tem um futuro mais do que promissor.

O PODER DE KOJIMA NO DESENVOLVIMENTO DE JOGOS

Um dos maiores destaques da BGS 2017 foi, sem dúvida alguma, a presença de Hideo Kojima, um dos maiores nomes da indústria e que está mais em evidência do que nunca devido ao seu novo projeto Death Stranding. Kojima tirou fotos com os fãs, autografou jogos e consoles, e fez a alegria de seus fãs com sua simpatia. Pouco foi mostrado de Death Stranding até hoje, e todo o desenvolvimento do jogo permanece um mistério, entretanto era o momento correto para que Kojima pudesse estar perto de seus fãs, compartilhando suas criações, enquanto esperamos que ele conclua o projeto e possamos saber mais sobre.

O evento também possui uma área que mostra a evolução dos video games, com consoles antigos e atuais, trazendo uma nostalgia aos jogadores mais velhos, e mostrando aos mais novos toda a evolução dos consoles, das empresas, os sucessos, os fracassos, tudo o que nos trouxe até onde estamos hoje. É uma viagem incrível pelo tempo, onde somos capazes de ver e conhecer algumas máquinas que jamais imaginamos existir.

A Brasil Game Show sempre foi um evento muito completo para quem quer usufruir tudo o que uma grande feira de games é capaz de oferecer. Uma área gigantesca dedicada a eSports, com a BGC (Brasil game Cup). Espaço para que os youtubers possam interagir com seu público, realizar gincanas, brincadeiras e fornecer entrevistas e muitas vezes um bate-papo direto com seus seguidores. Streamers que realizam jogatinas ao vivo, diretamente do evento. Dezenas de estandes das mais variadas empresas, dos mais variados tamanhos e gostos. Cosplay zone com competição de cosplayers além de muita brincadeira e diversão com os cosplayers que passeiam pelo evento. Convidados mais do que especiais, que realizam meet & greet e distribuem autógrafos, além de parcerias com dezenas de lojas do ramo para que ninguém saia de lá de mãos vazias. E em sua décima edição, o evento estava em um de seus melhores momentos. Diversão garantida para todos os gostos, e no final de tudo a sensação de dever cumprido misturada com um gostinho de quero mais. E sempre tem mais. Ano que vem tem mais. Nos vemos na BGS 2018.

Jornalista.
Hylian.
Mas talvez seja um Kokiri.
…ou um Korok.